“Mas quando nos tornarmos hipersensíveis à palavra, veremos que ela constitui uma adesão a uma amplidão feliz.”

Gaston Bachelard

O curso Lavra-Palavra enfoca reflexões prático-teóricas sobre a natureza poética da linguagem e possibilita descobrir e criar assombros com a palavra. A relação prazerosa com a palavra, aproveitando o seu aspecto lúdico, infinito e poético, redimensiona o aprendizado, e o aprendido pelo canal do imaginário e do potencial crítico/criativo do participante. Este curso não pretende atingir objetivos fixos e definitivos, mas implica numa auto-organização interativa e gerativa com o participante. Atingir subjetivos no (re)curso da afetividade poderá provocar descobertas significativas tanto na leitura como na criação textual. O curso possibilita:

  • O contato afetivo com a palavra através do texto literário adulto-infanto-juvenil.
  • Uma nova postura diante do aprendizado da língua: a passagem da postura passivo-receptiva para a atitude pensante, catalisadora e criativa.
  • O tateio experimental com a palavra e a descoberta de novos rumos integrando os participantes.
  • A integração com o acaso, com o espaço, com o entorno, com a memória leitora dos livros e do mundo para alinhavar o tecido vivo do momento de descoberta.
  • Atenção de paciente escuta do outro para oportunizar momentos de complexidade e pensamento vivo.
  • Apoio nos princípios da Pedagogia Freinet e da filosofia poética de Gaston Bachelard , entre outros.
  • Sensibilizar o professor e o escritor em potencial, para as possibilidades lúdicas e transdisciplinares que o trabalho com a Literatura permite.
  • Possibilitar o desenvolvimento da potencialidade reflexiva, crítica e criadora do participante.
  • Reconquistar o lugar do imaginário na sala de aula e na vida.
  • Provocar a descoberta do ser poético e a escrita criativa no educador e outros profissionais.
  • Encorajar poetas e escritores inéditos.

Alguns pontos da programação:

  • Integração e vivências de atividades lúdicas com a palavra.
  • Aproximação com a riqueza da literatura oral e com a natureza poética da linguagem infantil.
  • Produção de textos criativos com o estímulo da memória da infância e de vivências sensoriais e circunstanciais.
  • Leitura da literatura adulto-infanto-juvenil de autores consagrados no Brasil.
  • Síntese reflexiva e criativa.

PARTICIPANTES

Professores de ensino básico e fundamental, estudantes dos cursos de Letras, Pedagogia, Biblioteconomia, Filosofia, Educação Artística, Jornalismo, entre outros. São sempre bem-vindos livreiros, poetas e artistas.

REPORTAGEM SOBRE O LAVRA-PALAVRA

DEPOIMENTOS

“Lavra-palavra é um momento em que você pode parar e se debruçar sobre as palavras. São mágicas. Abrem janelas e portas. E brilham estrelas.
Quando você menos espera, já teceu uma abóboda de estrelas, e, ao levantar os olhos, a Gloria está ali, te olhando, lembrando que foi possível. Só quem já fez, sabe. A gente guarda um infinito de estrelas no bolso.”

Claudia Lucia Menegatti
Psicóloga e livreira da Livraria Poetria, de Curitiba

 

“Lavra-Palavra é a poção mágica do Asterix: Gloria caiu nela ao nascer e divide um pouco com os que participam do Lavra-Palavra…”

Priscila Prado
Advogada, poeta

 

“Vi chegar uma grande PA, carregada de pa-lavras, tão misturadas, tão livres, meio encantadas. Passei a LAVRA-LAS não de qualquer jeito, nem de qualquer forma. Arei daqui, Glória sulcou de lá. E voltei pra casa carregada de mais palavras, alastrados sentimentos e outros entendimentos”.

Maria Marta Ferreira
Psicologia Clí­nica ­CRP 08/07401

 

“O dicionário define Lavrar como trabalhar com arado, cultivar, escrever. No Lavra, a Glória nos faz capinar as ideias, provocando-nos, com um repertório rico de argumentos e de afeto. Por isso, durante a minha escrita/reescrita, as palavras vão desabrochando pela ponta do lápis, em linguagem poética, humorada ou realista, o que eu nem mesmo sabia que sabia, mas estava contido em mim. Durante a oficina, as ideias se compõem definindo o tipo de escrita. E algo de muito bom acontece junto, porque sinto uma modificação interior, salutar.
Gosto de lembrar do Lavra Palavra como provocador do conhecimento escondido, num processo lindo de encontro com a linguagem poética que está dentro da gente.”

Marilza Conceição.
Professora da rede Municipal de Ensino em Curitiba e Cordenadora da AEILIJ-PR